Vem

É negra a venda que me inibe o olhar,
Que me desorienta na minha busca incansável,
deixando-me entregue apenas ao tacto.
Sim, porque o silêncio que me rodeia faz tanto tempo ensurdece-me,
o fel dos amargurados como eu devolve à minha boca
o acre metálico dos momentos perdidos,
tão intenso que me impede de respirar.
Fico eu e o tacto.
Apenas nós.
Surda, cega, muda, talvez, exploro o que me rodeia
Em busca de formas outrora familiares
que me tragam a sensação perdida de serenidade,
a sensação de mar.
Tacteio-me, então, sentindo-me frágil.
Coberta de andrajos e remendos de vida,
com a cabeça envolta no traje dos renegados, dos abnegados,
o chão acolhe-me como se fosse o meu eterno horizonte.
E sinto-o sob mim,
gélido,
imundo,
tão diferente de ti.
Tão diferente de como te recordo no esquivo momento
em que os carrascos que carrego aqui dentro
me desvendaram e levaram à tua presença,
permitindo-me sentir-te pela primeira vez,
livre do escudo e das armas com que sempre me defendo.
Mas foi apenas um momento
aquele em que te vi para além do olhar e das muralhas por mim levantadas,
um breve momento
que me explicou o significado do sol,
do mar que sempre procuro,
do vento.
Porque logo me devolveram ao chão desta cela
onde agora te escrevo,
onde tudo o que me rodeia te é antagónico,
onde de ti apenas resta a imagem
que tento gravar em cada pedra da parede
para que nunca mais me abandone.
Se antes o meu cárcere era punição,
agora é tortura.
Porque antes apenas desejava sair daqui para ficar comigo mesma,
livre das mãos doentes deste chão, deste cheiro que cada vez mais me enlouquece.
Agora não.
Agora espero por ti,
pela tua pele,
pela tua voz,
pela negação do meu suplício.
Agora, nesta cela, estou eu e o meu tacto,
e o chão,
e a esperança de que me oiças gritar,
que sintas a minha vontade de te ter,
de que me tenhas,
e que venhas depressa libertar-me das garras da solidão.  

Susana Figueiredo, Maio/2000

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Overload

O mistério da aparente imutabilidade

Os fumadores das nove em ponto